quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

BARRA DA TIJUCA INÉDITA! DO SONHO À REALIDADE

Documentário premiado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB) de 1970.

1. Neste maravilhoso documentário vemos, em rápidas pinceladas, a distância entre o sonho e a realidade do planejamento urbano.  E isto em um passado recentíssimo: em 1970, quando a Barra da Tijuca ainda tinha cavalos pastando em sua baixada! 

2. A dinâmica da cidade foi mais forte, muito mais.  E a do dinheiro também, pois a Barra foi feita com investimentos públicos pesados, a começar pelo seu caro acesso através do viaduto do Joá, e a ele somado todo o sistema viário, o sistema de drenagem e o de saneamento.

3. Mas nada, absolutamente nenhuma recuperação deste investimento, foi cobrado pelo poder público.  Ou seja, quem lá tinha propriedade recebeu de presente da população carioca milhões de reais pela estupenda valorização de suas propriedades, decorrente dos investimentos públicos em infraestrutura, e pelos índices construtivos a elas atribuídos gratuitamente.  

4. Ainda um detalhe interessante: aparentemente, neste sonho, não foram previstas áreas para população de baixa renda!  Aliás, este "esquecimento" ainda persiste no atual planejamento da cidade, recém aprovado!  Os pobres não existem neste sonho de cidade!

Não deixe de assistir:


"A Cidade Cresce Para a Barra" - by Paulo Martins


Nossos agradecimentos ao Prof. Arq. Alfredo Britto pelo envio.

4 comentários:

Gisela disse...

Cara Sonia,

Parabéns pela Posse!

Para complementar as informações do video e trazer dados mais atuais da atuação do mercado imobiliário, disponibilizo o link da minha tese relativa às Baixadas de Jacarepaguá e da Barra.

http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/cp086838.pdf

Um abraço e sucesso!

Gisela Santana

Sonia Rabello disse...

Obrigada pela disponibilização de sua valiosa tese. Muito bom!

Petelles disse...

Muito bom,
Valeu muito a pena ver como era nossa cidade, quando eu era pequeno.
Abraços e boa sorte na nova função.
Flavio Telles. Eng.Florestal.

Sonia Rabello disse...

Obrigada, Flávio.
Sonia Rabello